terça-feira, 11 de abril de 2017

Atividades da Greve contra o Desmonte da Previdência ocorrem em toda a Região do Vale do Rio Doce

Açucena, Aimorés, Alpercata, Cantagalo, Capitão Andrade, Central de Minas, Conselheiro Pena, Coroaci, Cuparaque, Divino das Laranjeiras, Divinolândia de Minas, Engenheiro Caldas, Frei Inocêncio, Galiléia, Goiabeira, Gonzaga, Governador Valadares, Itabirinha,  Itanhomi,  Itueta, Mantena, Marilac,  Mathias Lobato, Mendes Pimentel, Nacip Raydan, Naque, Nova Belém, Nova Módica, Peçanha, Periquito, Resplendor, Santa Efigênia de Minas, Santa Rita do Itueto, São Félix de Minas, São Geraldo da Piedade, São Geraldo do Baixio, São João do Manteninha, São José da Safira, São José Divino, Sardoá, Sobrália, Tumiritinga,  Virginópolis e Virgolândia são as Sedes dos Municípios da Área de Abrangência da Subsede Governador Valadares em que a Greve Nacional da Educação, iniciada no dia 15 de março e que se será suspensa nesta quarta-feira, 12/04, com o fim de banir os projetos de Desmonte do Estado Brasileiro representados pela EC 95 (congelamento de investimentos públicos por 20 anos nas áreas fundamentais), reforma da Previdência Social, reforma trabalhista e terceirização sem limites, a lei da mordaça, reforma do Ensino Médio e outros projetos que têm sido encaminhados pelos asseclas do governo federal, representado pelo ocupante ilegítimo do Palácio do Planalto, Michel Temer, terá continuidade com os Trabalhadores em Educação mobilizando a população contra esses ataques aos Direitos do Povo Brasileiro. 

Aldeia, Aramirim, Assentamento Primeiro de Junho, Baguari, Barra do Cuieté, Boa União, Bom Jesus da Boa Vista, Bom Jesus do Rosendo, Central de Santa Helena, Chonin de Baixo, Chonin de Cima, Cidade dos Meninos e Assentamento Oziel Alves Pereira,  Conceição da Brejaúba (Xodó), Conceição de Tronqueiras, Conceição do Capim, Divino de Virgolândia, Edgard Melo, Encruzilhada,   Expedicionário Alicio, Felicina, Ferruginha, Floresta, Linópolis, Macedônia, Mundo Novo de Minas, Penha do Cassiano, Santo Antônio do Pontal, São Francisco do Jataí, São Geraldo de Tumiritinga, São José do Itueto, São Sebastião da Vala, Tabaúna são as Comunidades Rurais, Povoados e Distritos da Região que também constroem essa História até este momento.

Além destas questões federais urgentíssimas, que pretendem fazer o povo brasileiro retornar ao grau de escravidão, a Greve também teve o papel de cobrar do governo estadual o cumprimento dos acordos de 2015.

A Greve atingiu a todos os Bairros de Governador Valadares onde há Escolas Estaduais. O mesmo ocorreu nas outras cidades da Região onde há mais de uma Escola Estadual: Aimorés, Conselheiro Pena, Itabirinha, Mantena, Peçanha, Virginópolis e Virgolândia. Chegou a 129 das 141 Escolas atendidas pela Subsede, atingindo a 91% dos Estabelecimentos de Ensino, próximo de 98% dos alunos da Região, além da adesão Superintendência Regional de Ensino de Governador Valadares, com índice de cerca de 50%.

Foram Aulas Públicas, Passeatas, Palestras, Audiências Públicas, Ocupação de Espaços Públicos, Panfletagens, Caça aos Deputados, Vereadores e Prefeitos, Diálogos com a Comunidade que se espalharam por cerca de 112 Comunidades, com a colaboração de Movimentos Sindicais, Populares e Religiosos.

Surgiram diversas Lideranças Comunitárias entre os Trabalhadores em Educação de toda a Região, além da participação massiva de milhares de pessoas, o que proporcionou um momento ímpar de Mobilização no Vale do Rio Doce.

Neste momento, Trabalhadores/as em educação suspendem temporariamente a greve a partir de 17/04 mas permanecem em estado de greve, juntando energia e unidade para o combate às reformas trabalhista e previdenciária, especialmente no dia 28 de abril, quando será construída uma Greve Geral, que está sendo convocada por todas as centrais sindicais e,  será um momento importantíssimo para barrar os desmontes do Estado no Brasil.

Calendário de Lutas:

11/04 – Preparação da greve geral do dia 28/04 nos municípios. Reuniões com os sindicatos, movimentos, universidade para construção da greve geral. Diálogo com as redes municipais em greve.

12/04 – Manifestação contra as reformas da previdência e trabalhista nos municípios. Nesta data será apresentado o relatório da reforma trabalhista na Comissão da Câmara dos Deputados.

17/04 – Retorno temporário às atividades, com manutenção do estado de greve. Início dos debates com pais, alunos e a comunidade escolar sobre a reforma da previdência, trabalhista e terceirização.

21/04 – Dia estadual de protesto, com ato contra a reforma da previdência em Ouro Preto.

28/04 – Greve Geral.

Algumas das Atividades ainda não divulgadas pelo Blog da Subsede:

Malhação dos Judas da Previdência, em 10/04:

























Jornalistas Livres: JUDAS DA PREVIDÊNCIA


DRD:

Mobilização para a Continuidade da Greve, em Resplendor, dia 10/04:






Assembleia Local de Governador Valadares, em 07/04:



























Assembleia Local de Peçanha, em 07/04:


Manifestação em São Félix de Minas, em 05/04:




















Manifestação em Boa União, distrito de Itabirinha, 06/04:








Manifestação em Naque: dia 07/04:



video

Audiência Pública em Central de Minas, dia 06/04:


Manifestação em Floresta, Distrito de Central de Minas, em 06/04:


Manifestação em Galiléia, dia 24/03:















Audiência na E.E. Benedito Quintino dos Santos no Distrito de São Vicente do Rio Doce.





Nenhum comentário:

Postar um comentário